ORIENTAÇÕES

Prostatectomia Radical (minimamente invasiva)

Breve resumo:

A prostatectomia radical é um procedimento cirúrgico crucial no tratamento do câncer de próstata. Essa intervenção, também conhecida como prostatectomia, desempenha um papel fundamental na busca pela remoção completa da glândula prostática afetada pelo tumor. A prostatectomia radical é indicada quando o câncer está localizado exclusivamente na próstata e não se disseminou para outras regiões do corpo.

A prostatectomia radical é considerada uma abordagem definitiva para combater o câncer de próstata em estágios iniciais. Durante a prostatectomia radical, o cirurgião remove toda a próstata, incluindo tecidos próximos que possam estar comprometidos. A extensão da prostatectomia radical pode variar com base na avaliação da disseminação do câncer e do risco de invasão em tecidos circundantes.

Existem diferentes técnicas de prostatectomia radical, incluindo a cirurgia aberta, laparoscópica e robótica. A abordagem escolhida depende das características específicas do paciente e da experiência do cirurgião. A prostatectomia radical laparoscópica e robótica são métodos minimamente invasivos que podem resultar em menor tempo de recuperação e menos complicações pós-operatórias.

Os benefícios da prostatectomia radical são numerosos. Além de ser uma abordagem curativa para o câncer de próstata localizado, também pode aliviar os sintomas associados, como dificuldade urinária e desconforto pélvico. No entanto, como em qualquer procedimento cirúrgico, a prostatectomia radical também apresenta riscos, como sangramento, infecção e problemas de continência urinária e disfunção erétil.

O acompanhamento médico após a prostatectomia radical é essencial para monitorar a recuperação e detectar possíveis complicações precocemente.

Principais orientações pós operatórias:

1- Após a cirurgia, o paciente estará usando 2 dispositivos: a sonda vesical e o dreno. Deve-se estar atento para evitar tração ou maiores manipulações por pessoas não habilitadas.

2- Uma dieta laxativa, leve será liberada em poucas horas, quando o paciente já está recuperado da anestesia.

3- Neste primeiro dia, o paciente deve sair do leito, sentar na cadeira, andar. Recomenda-se realizar tais tarefas assim que estiver bem, acordado, orientado, o que ocorre em média 3 a 4 horas após o término da cirurgia.

4- É normal sair uma mistura de líquidos (sangue claro) no dreno. Em média, permanece por 24 a 72h, a depender da quantidade drenada e do aspecto.

5- Os curativos dos cortes cirúrgicos devem ser retirados em 24 a 48h após a cirurgia. Não tenha receio de deixá-los abertos (sem curativo). Deve-se mantê-los limpos e secos (água e sabonete). Lembre-se: o cuidado local com higiene adequada é a medida mais importante para prevenir infecções e correta cicatrização. Este passo é muito importante!

6- A alta hospitalar costuma ocorrer entre 24 e 48h. Habitualmente retira-se o dreno e mantém a sonda urinária. Serão prescritos medicações para a melhor recuperação cirúrgica.

** O orifício onde havia o dreno é o único corte que DEVERÁ manter a realização do curativo; pois, sua cicatrização será feita de dentro
para fora, dia após dia. Em 3 a 5 dias costuma estar limpo e sem secreções, podendo deixar aberto.

7- Os cuidados em casa com a sonda e com os cortes (feridas operatórias) apesar de parecerem complicados, são simples.

Habitualmente são explicados pela equipe de enfermagem do hospital. Solicite orientações e não saia com dúvidas!

8- Repouso relativo (evitar maiores esforços) nos primeiros 10 dias.

9- Alimentação deve ser leve, balanceada. Não há contra-indicações para nenhum alimento específico.

10- Retornar para revisão no período estabelecido (entre 10 a 15 dias). Neste período avaliamos a evolução do pós operatório, retiramos a sonda e muitas vezes já temos o resultado da análise do anatomopatológico.

11- Os pontos serão retirados em 10 a 20 dias ou se utilizados fios absorvíveis cairão sozinhos de 15 a 45 dias, alguns podem cair antes.

OBS:

– É possível que o corte apresente alguma pequena abertura, com saída de algum líquido em pequena quantidade.

– O corte pode até ficar de cor amarela. Não se assuste! Na dúvida entre em contato.

– O local operado ficará inchado por alguns dias ou até semanas e sintomas de desconforto local são comuns.

Blog

Publicações em urologia

Cirurgia para próstata aumentada: qual a melhor opção?

Cirurgia para próstata aumentada: qual a melhor opção?

A saúde da próstata é uma preocupação para muitos homens, especialmente à medida que envelhecem. Quando a glândula cresce além do normal, pode causar uma série de complicações. Nesse cenário, a cirurgia para próstata aumentada surge como uma das principais opções de...

Exame de próstata: mitos e verdades

Exame de próstata: mitos e verdades

De acordo com o Instituto Nacional de Câncer (Inca), o câncer de próstata é o mais comum entre os homens, mas, apesar de todas as campanhas de prevenção e da importância do exame de próstata, ainda há muito preconceito sobre esse assunto.  Esse teste clínico é um tema...

Cloridrato de tansulosina: para que serve?

Cloridrato de tansulosina: para que serve?

Se você busca entender o que é o cloridrato de tansulosina, para que serve tal medicamento e sua indicação de uso, saiba que está no post certo!  De início, podemos adiantar que a tansulosina é um remédio recomendado para o tratamento dos sintomas urinários em homens...

×
Agende online Agende Via WhatsApp

Agende sua consulta Online ou via WhatsApp Agora.