Cálculo Renal Mitos e Verdades

Cólica Renal

Pesquisas mundiais apontam que o cálculo renal pode atingir até 10% da população e é uma importante causa de afastamento do trabalho. Especialmente durante a cólica renal, quase sempre inesperada, a crise álgica é tão intensa que pode ser descrita como a pior dor do ser humano. 

Neste texto, vamos conhecer mais sobre os mitos, tratamentos e sintomas dos cálculos renais.

O que é cálculo renal?

Os rins são dois órgãos que ficam na região lombar, lateralmente à coluna vertebral e abaixo do fígado do lado direito e baço do lado esquerdo. 

A principal função deles é eliminar toxinas e manter o equilíbrio hídrico, eliminando o excesso de água, sais e eletrólitos, além de atuar como produtores de hormônio para manter a pressão arterial.

Quando há um desequilíbrio no organismo, a filtração dos rins pode ficar prejudicada e desta forma possibilita a formação dos cálculos renais (ou litíase renal). Popularmente conhecido como pedra nos rins, os cálculos são formados a partir de cristais compostos (por exemplo, cálcio e ácido úrico). A precipitação de cálculos pode ocorrer em toda a via urinária, acometendo os rins, a bexiga e mais raramente a uretra.

Como já vimos, os rins são órgãos acometidos comumente por alterações benignas (cisto renal) e a formação de cálculos está entre as principais.

Quais os sintomas do cálculo renal? 

Os cálculos podem apresentar-se de forma silenciosa, sendo identificados apenas em exames de imagem, ou por meio da cólica renal, um episódio de dor aguda. 

Essa dor é muito intensa, situada na região lombar, que começa quando a pedra se desloca para o ureter. À medida que o cálculo se move, ele vai obstruindo regiões diferentes no seu caminho. A dor, que vem em ondas, vai mudando de lugar e intensidade.

Quando a pedra atinge a junção entre o ureter e a bexiga, sensação de bexiga cheia e vontade frequente de urinar associada à ardência podem estar presentes. Muitas vezes, essas dores também podem ser confundidas com infecção urinária. Apesar de a infecção não estar entre os principais sintomas, o cálculo renal pode ser originado de bactérias produtoras de substâncias formadoras de cálculos. Nesses raros casos, o paciente pode apresentar-se com episódios recorrentes de infecção urinária. Além disso, desconforto lombar inespecífico pode estar associado à presença de litíase renal. 

Outros sintomas do cálculo renal:

  • Presença de sangue na urina, que pode resultar em um líquido rosado;
  • Manifestação de náuseas e vômitos nos episódios de cólica. 

As crises de cólica renal geralmente não causam maiores danos ao organismo quando o diagnóstico e o tratamento são realizados de forma precoce. Por outro lado, quando há alteração na função renal e/ou episódios de febre com calafrios podemos estar diante de uma situação grave, a pielonefrite obstrutiva. Neste caso, é imprescindível procurar o médico o quanto antes para a realização imediata do tratamento.

Veja abaixo alguns mitos e verdades sobre o tema!

Só adultos têm pedra nos rins?

MITO

Apesar da incidência maior ser na faixa de 20 a 50 anos, a presença de um cálculo renal pode acometer crianças e idosos.

Quando o cálculo renal ocorre ainda na infância pode ser um sinal de distúrbio metabólico e precisa ser investigado.

É uma das piores dores que o ser humano pode sentir?

VERDADE

A dor de cálculo renal é tão intensa que muitas pessoas chegam a comparar com as dores do parto.

O que ocorre é que a obstrução do canal da urina promove a dilatação do rim, que tem um intensa rede de nervos. Isso vai amplificar a dor por toda a região lombar e abdominal.

Beber muita água evita formação de cálculo renal?

VERDADE

Pessoas que ingerem muita água apresentam menos incidência de cálculos renais no organismo, porque costumam urinar mais, o que favorece a eliminação dos cristais que formam a pedra.

Por isso, especialmente para quem já teve pedras na urina, a recomendação é beber de 2 a 3 litros de água por dia. Claro que outros fatores contribuem para a formação do quadro, de modo que essa é apenas uma medida importante.

Ingestão de frutas cítricas evitam formação de pedras?

VERDADE

Ao consumir sucos de limão e laranja a urina vai eliminar o ácido cítrico, presente nessas frutas na forma de citrato, que ajuda a evitar a formação de cálculos renais.

Churrasco e frutos do mar causam pedra no rim?

VERDADE

Proteína animal, especialmente quando são mais salgadas, como ocorre na elaboração do churrasco, elevam a quantidade de sódio no organismo.

Além do churrasco com carne vermelha e branca, os frutos do mar, como camarão, lula ou lagosta, também são ricos em sódio.

A presença maior da substância no organismo promove uma maior excreção urinária de sais, como oxalato e cálcio, que poderão contribuir com a formação da pedra no rim.

Sementes de frutas e legumes causam o cálculo?

MITO

Existe uma crença popular que alimentos com sementes promovem pedra no rim, mas isso não tem comprovação científica.

Consumir cálcio favorece a formação da pedra no rim?

MITO

Muitas pessoas acreditam que precisam diminuir substancialmente a ingestão de alimentos que têm cálcio, como o leite e derivados, em função da formação de pedras. Isso não é verdade. O vilão da história é o sódio! 

Uma quantidade excessiva dele facilita a eliminação de cálcio urinário (a hipercalciúria) e desta forma aumenta-se a chance de formação de cálculos. Portanto, o problema não está nas concentrações de cálcio ingeridas de forma balanceada mas sim no desequilíbrio hidroeletrolítico entre o sódio e água. 

Embora também seja fato que nenhum alimento consumido em excesso faz bem ao organismo, é bom balancear a ingestão do cálcio na dieta para cálculo renal.

Chás de quebra-pedra, cerveja ou cabelo de milho podem eliminar o cálculo renal?

MITO

Muita gente usa alguns chás como remédio para cálculo renal, mas não há nenhuma comprovação científica que demonstre a eficiência desses chás na solução efetiva do problema. Por outro lado, os chás costumam ser diuréticos, e com isso alguns pacientes podem se beneficiar deste efeito.

O que causa cálculo renal?    

Como já foi dito acima, beber pouca água e consumir alimentos ricos em sódio são algumas das principais causas da formação de cálculos renais. Conheça outras causas:

  • Fatores hereditários. Familiares que têm histórico de doença litiásica das vias urinárias devem estar atentos e informar ao médico. Deve-se ter atenção na alimentação e hidratação desta família. 
  • Estação do ano. Outro fato importante a saber é que esses cuidados também precisam ser redobrados no verão, quando a incidência de cálculo renal pode subir até 30%. Devido ao calor, as pessoas transpiram mais e nem sempre repõem o líquido perdido pelo corpo. Por isso que para cálculo renal, o tratamento caseiro é a ingestão de muita água. Bom, barato e eficaz!
  • Maior incidência em homens. Os cálculos renais ocorrem 3 vezes mais em homens que em mulheres, especialmente na faixa dos 40 anos.

Cálculo renal: tratamento

Para detectar as pedras no rim, é necessário realizar exames de imagem. A ultrassonografia é um método simples, barato e facilmente encontrado. Porém, para uma melhor avaliação de localização, consistência e quantidade dos cálculos, a tomografia computadorizada do abdome é o exame mais indicado.

Para a maior parte das pedras não há necessidade de tratamento mais invasivo. É possível acompanhar cálculos assintomáticos e/ou de pequeno tamanho.

Porém, na crise de dor – a cólica renal – poucas são as opções de remédio para cálculo renal. A depender do tamanho, localização e repercussão no organismo, o tratamento clínico-expulsivo com medicações pode ser suficiente. Analgésicos, antiinflamatórios e alfa bloqueadores favorecem o relaxamento dos músculos e com isso a eliminação menos dolorosa da pedra. E isso pode responder a pergunta de como expelir o cálculo renal naturalmente, sem necessidade de intervenção invasiva. 

Apesar disso, a cirurgia para retirada de cálculos renais ainda é a principal forma de tratar a doença. Por isso que para responder Como eliminar cálculo renal? é preciso realizar uma série de questionamentos: qual o local, o tamanho e a consistência do cálculo? Essa pedra está gerando alterações perigosas no organismo (infecção, insuficiência renal…)? 

Lembrando que chás para cálculo renal têm função limitada e não pode ser usado como único método para eliminação deste problema.

Cálculo renal: cirurgia 

Existem 4 tipos de intervenção nos pacientes portadores de cálculo renal:

    • Litotripsia extracorpórea: procedimento realizado sob sedação, onde a fragmentação das pedras é feita por ondas de choque transmitidas através da pele;
    • Cirurgia a laser pela uretra – ureterorrenolitotripsia: um aparelho muito fino (ureteroscópio) é introduzido pela uretra para fragmentação do cálculo com laser;
    • Cirurgia de laser pela lombar – nefrolitotripsia percutânea: através de pequeno furo na pele é introduzido um aparelho (nefroscópio) diretamente no rim. Através dele realiza-se a fragmentação do cálculo;
    • Cirurgia convencional: através de um ampla incisão na pele na região lombar, temos acesso ao rim. Realiza-se abertura do mesmo e removem-se os cálculos.

 Cada tipo de cirurgia de cálculo renal será definida de acordo com as características das pedras detectadas. Variáveis importantes são tamanho, quantidade, localização e dureza.

Agora que você entende mais sobre o cálculo renal, o que é, causas, sintomas e tratamentos, procure ficar atento aos sinais do seu corpo.

Além disso, não tente remédio caseiro e milagroso para cálculo renal. Essas medidas sem orientação médica podem levar à perda da função do rim e até situações graves, como infecção generalizada.  Procure sempre um médico de forma periódica.

Leia também: Tumor renal: entenda a evolução desse câncer

 

 

× Marcar uma consulta!
Agende online Agende Via WhatsApp

Agende sua consulta Online ou via WhatsApp